Produzido originalmente para o jornal Tribuna de Minas

 

     De acordo com o relatório “Um Ajuste Justo”, divulgado pelo Banco Mundial, a maior parte dos idosos no Brasil são beneficiados pelo sistema previdenciário. No entanto, apesar da abrangência, o índice de pobreza entre aqueles que se veem assistidos pela renda previdenciária do governo é, em média, maior que daqueles não beneficiados.  Diante de tal cenário, faz-se necessário analisar as demais formas, além da oferecida pelo Estado, que permitem à população garantir renda e qualidade de vida durante a senilidade.
     Uma das alternativas para a complementação da renda futura é a contratação de um
plano de previdência privada, nas modalidades PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre), que, para quem declara anualmente e de forma completa o imposto de renda, permite o abatimento na base de cálculo de até 12% do investimento sobre a renda tributável, e o VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre), mais indicado para quem faz a declaração do IR simplificada, pois o IR incide apenas sobre o ganho de capital do investimento na previdência, diferente do PGBL, que incide sobre o montante.
    Entretanto, estes fundos costumam ter uma alta taxa de administração, tornando sua rentabilidade muito abaixo da de outros produtos financeiros, além de não contar com a proteção do FGC (como todos os demais fundos de investimento).
    Considerando a baixa atratividade da previdência pública e dos planos de previdência privada, a alternativa mais recomendável para quem tem disciplina financeira é montar a previdência própria. Para isso, bons fundos de renda fixa vêm apresentando rentabilidades entre 12% e 15,09% nos últimos 12 meses, muito acima da inflação de 2,94% no período. Além disso, a compra recorrente de ações que são boas pagadoras de dividendos, pertencentes a empresas com lucros consistentes e em bons setores, também se mostra historicamente muito atrativa. Essas ações são capazes de gerar uma renda anual para o investidor sem a necessidade da venda das ações, apenas com a distribuição dos lucros auferidos na forma de dividendos, que costuma ser muito mais constante do que suas cotações.
   Para dar vida ao sonho da aposentadoria sem sustos, o recomendado é buscar profissionais especializados em investimentos, que contam com a permissão da CVM (Comissão de Valores Mobiliários) para ajudar investidores a aplicarem seus recursos da maneira mais rentável e segura para cada investidor.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Recentes

November 12, 2019

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags
Please reload

Siga no Facebook
  • Facebook CMC