Em clima de Copa do Mundo, quais setores concorrem ao título?

 

 

Produzido originalmente para o jornal Tribuna de Minas.

     A Copa do Mundo está acontecendo nestes meses de junho e julho e, mesmo com uma importância menor que em 2014, ano no qual o Brasil foi sede do evento, o campeonato mundial de futebol continua afetando a economia brasileira. Diversos setores da economia como comércio, serviços, alimentício e industrial são beneficiados pelo evento. Contudo, é importante destacar que o desempenho da seleção brasileira no mundial também colabora para a correspondência das expectativas nos setores, já que quanto mais a seleção avançar na competição, maior e mais duradouro o efeito do evento na economia.

     A Confederação Nacional do Comércio (CNC), o SPC Brasil e a Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL) realizaram pesquisas de intenções de gastos das famílias para a Copa do Mundo de 2018. Um produto muito procurado nos períodos de Copa são os televisores. A produção de produtos desta categoria de eletrodomésticos avançou cerca de 46% no primeiro semestre de 2018.

     Outro setor de destaque nos períodos de competição esportiva é o alimentício e de bebidas. Somente os bares e restaurantes, que são majoritariamente escolhidos para assistir aos jogos fora de casa, devem movimentar cerca de 252 milhões de reais, segundo a CNC. Já a projeção do SPC Brasil revela que, das 60 milhões de pessoas esperadas para consumir nesta Copa, 91% devem gastar com alimentos e 87% com o consumo de bebidas. Entre os alimentos favoritos estão os tira-gostos e os itens relacionados ao churrasco. Já na parte de bebidas, a cerveja e o refrigerante lideram a intenção de consumo.

     Além disso, os setores de comércio e serviços devem movimentar em torno de 20 bilhões de reais, visto que existe intenção de comprar produtos relacionados ao evento. Nesse ponto, os supermercados, seguidos das lojas de rua, lideram a intenção de local de compra dos consumidores. Em relação ao varejo, a venda esperada por conta dos jogos gira em torno de outros 1,5 bilhão de reais, de acordo com a CNC.

     Por outro lado, nem todos os aspectos da Copa são positivos. É comum no país a pausa das atividades industriais e do comércio durante os jogos da seleção para que se possa assistir à partida. Em alguns lugares, a pausa é somente durante o tempo do jogo, como supermercados; já em outros, todo um período do dia é adiado em prol do entretenimento, ficando sem funcionar durante toda a manhã ou tarde, de acordo com o horário do jogo. Com isso, pode haver uma queda na lucratividade com o menor movimento no comércio e perda da produtividade, com a liberação dos funcionários durante os jogos.

    Resta aguardar o fim da Copa do Mundo para que se possa avaliar efetivamente o saldo do evento para o Brasil. Logo em seguida, o país passará do atual clima de festa para um mais sóbrio, frente à aproximação das próximas eleições, que também prometem afetar o ritmo da economia brasileira.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Recentes

November 12, 2019

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags
Please reload

Siga no Facebook
  • Facebook CMC