Dos trilhos à estagnação

 

     O setor de transporte é um dos motores das economias modernas. Todos os setores de atividade econômica dependem da infraestrutura de rodovias, ferrovias e portuária. Nessa área é que está uma grande ineficiência da economia brasileira. Cerca de 65% do transporte nacional está concentrado no modal rodoviário. Além de sobrecarregar as vias e não haver outras opções para o escoamento da produção, a falta de infraestrutura afeta diretamente o preço final dos produtos.

     O descaso com o setor de transportes não é um problema novo, desde a grande expansão da malha viária no governo de Washington Luiz e, posteriormente no de Juscelino Kubitschek, consolidou-se o transporte de cargas nesse modal. No Canadá, por exemplo, chega a 46% a utilização das ferrovias, na Rússia, a incríveis 81%. Um vagão padrão nos moldes atuais transporta cerca de 100 toneladas de carga. Um caminhão graneleiro suporta, aproximadamente, 28 toneladas de carga, ou seja, um trem com 100 vagões transportaria o mesmo que 357 caminhões.

     A partir de 1995, tem-se o surgimento de melhoras no sistema ferroviário brasileiro causadas pelo processo de desestatização das ferrovias federais e estaduais. Tal ação fez com que a produção de bens e serviços fosse duplicada no decorrer dos próximos 15 anos e o Estado deixou de arcar com os déficits recorrentes. Contudo, esse processo de privatização, apesar de gerar aumento da produção, acarretou também no surgimento de um oligopólio privado, fazendo com que as malhas ferroviárias menos rentáveis fossem abandonadas e houvesse pouca diversificação da produção de insumos.

     Atualmente, o transporte de trilhos no Brasil atende principalmente produtos para exportação, como grãos e minérios. Além de possuir densidade de apenas 3,1 metros por km2 de ferrovias para tráfego, essas encontram-se má distribuídas pelas regiões do país, estando 52% dos trilhos localizados na região Sudeste. A ligação intermodal vem sendo apontada como uma perspectiva de melhoria a longo prazo do atual sistema ferroviário, porém, de acordo com dados divulgados pela ANTF (Associação Nacional dos Transportes Ferroviários), as condições de acesso ferroviário aos portos e a falta de incentivos para a construção de terminais multimodais são algumas das dificuldades a serem superadas.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Recentes

November 12, 2019

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags
Please reload

Siga no Facebook
  • Facebook CMC