Até quando você vai se deixar levar pela Poupança?

Produzido originalmente para o jornal Tribuna de Minas.

     Atualmente, e desde quase sempre, a velha “Caderneta de Poupança” é o investimento mais popular entre os brasileiros. As razões atribuídas a mais essa preferência nacional são, principalmente, a facilidade de se investir e a segurança que o banco oferece aos correntistas, além da possibilidade de poder sacar o dinheiro a qualquer momento. Mas será que essas são características atribuíveis unicamente à Caderneta de Poupança? Cada vez mais os brasileiros têm escutado falar do Tesouro Direto, mas sem saber “onde o galo canta”. Seria essa uma boa alternativa? E, se sim, como fazer para aproveitá-la?

     O Título do Tesouro que mais se assemelha à Caderneta de Poupança é o “Tesouro Selic”, que pode ser resgatado a qualquer momento e que rende conforme os juros diários (não sendo possível perder dinheiro ao resgatar o dinheiro investido antes do prazo). Além disso, esse título rende sempre mais do que a poupança: enquanto essa rende 70% do CDI, o Tesouro Selic rende 100% do CDI. Para termos uma ideia da diferença que isso representa, nos últimos 12 meses, o Tesouro Selic rendeu 6,55% ao ano, contra 4,74% ao ano da poupança, uma rentabilidade 38% maior. Mas, e quanto aos riscos?

     Os Títulos Públicos possuem como garantia o próprio Governo e são considerados os investimentos de menor risco de todo o país. Portanto, eles são menos arriscados do que a Poupança e oferecem uma rentabilidade maior. Além disso, eles rendem todos os dias, mesmo que você deixe o dinheiro aplicado por poucos dias, ao contrário a Poupança, que tem data de aniversário e rende apenas uma vez por mês. Para melhorar a situação do Título Público, nos últimos meses, os maiores bancos do Brasil, seguindo o movimento já feito pelas Corretoras, zeraram suas taxas para o investimento no Tesouro Direto, tornando a aplicação muito mais acessível para qualquer pessoa a partir de R$ 100, sendo possível fazer o investimento no próprio banco ou nas Corretoras, que são empresas especializadas em investimentos. Quer conhecer alguma? O atendimento é gratuito e de muita qualidade.

     Por fim, já adiantando parte do assunto que iremos abordar no texto do próximo mês, você sabe quanto sua Previdência Privada vai lhe render quando você começar a resgatá-la? Já perguntou a seu gerente? Apenas para termos uma ideia, nos últimos 12 meses, os planos de previdência privada dos maiores bancos do país renderam em média 5,46%. Considerando que a inflação foi de 4,53%, a rentabilidade acima da inflação da previdência privada foi em média de apenas 0,89% em um ano inteiro (ou apenas 0,07% a.m.). Será que isso é o suficiente para você se aposentar? Será que existem opções melhores dentro do próprio Tesouro Direto? Esse é o tipo de informação que uma Corretora é capaz de te dar e à qual os correntistas da Poupança e das previdências privadas oferecidas pelos bancos não têm acesso. O assunto é importante. Precisamos falar mais sobre isso. Até o próximo mês então.

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Recentes

November 12, 2019

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags
Please reload

Siga no Facebook
  • Facebook CMC