É melhor prevenir do que remediar

 

 

Produzido originalmente para o jornal Tribuna de Minas.

 

     Recentemente, Minas Gerais teve uma repercussão negativa no Brasil em função dos acontecimentos com as barragens de Fundão, em Bento Rodrigues, e da Mina do Feijão, em Brumadinho. As conseqüências negativas dos acidentes começaram a levantar questionamentos sobre as instalações. Além disso, nos faz pensar nas consequências econômicas das atividades de extração de minério, uma vez que com elas existem diversos impactos ambientais e sociais, que estão sendo observados.

     Segundo publicação da Fundação João Pinheiro (FJP), a indústria extrativa contribuiu com 2,9% do Produto Interno Bruto (PIB) de Minas Gerais em 2016. O valor é o menor desde 2010, quando a participação foi de 5,7%. Contudo, outros setores produtivamente encadeados com a atividade de mineração e extração contribuem com outros 31,1% do PIB mineiro. É o caso da indústria de transformação (13,4%), construção (5,6%) e do comércio, manutenção e reparação de veículos automotores e motocicletas (12,1%). É válido destacar que isto ocorre porque o setor de mineração e extração é um importante fornecedor de matérias-primas para demais atividades produtivas da economia.

     Em termos de arrecadação de impostos, o estado de Minas Gerais é, desde 2004, o que mais recebe a Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM) entre os estados brasileiros, de acordo com a Agência Nacional de Mineração (ANM) e o Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM). Segundo dados da Secretaria de Estado de Fazenda (SEF), a indústria extrativa representou 2,43% da arrecadação total em 2018. Além disso, cerca de 50% do saldo da balança comercial do setor mineral brasileiro se refere às comercializações do estado mineiro. As informações até aqui apresentadas indicam que a indústria extrativa é importante não apenas para a economia de Minas Gerais, mas também para a do Brasil como um todo. Porém, quais são os possíveis impactos sociais e ambientais, especialmente de longo prazo, da atividade de mineração?

     Alguns dos problemas que podem ser observados são a poluição da água, poluição do ar, poluição sonora e degradação do terreno. Portanto, o planejamento por trás da indústria extrativa, que vai desde o processo de pesquisa até a operacionalização das minas, deve conter estratégias capazes de amenizar esses impactos. A etapa de fiscalização na execução dessas atividades também possui grande importância, por tornar possível identificar irregularidades e propor ajustes. Vale lembrar que os acidentes recentes revelam que o custo de reparação pode acabar ficando bem elevado quando não há um comprometimento efetivo com ações preventivas.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Recentes

November 12, 2019

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags
Please reload

Siga no Facebook
  • Facebook CMC