Zona da Mata, exemplo na produção orgânica de alimentos no Brasil

 

 

 

Produzido originalmente para o jornal Tribuna de Minas.

     Desde a aprovação da lei 23.207/18 em dezembro de 2018, a Zona da Mata mineira é considerada um Polo Agroecológico no Brasil. O projeto, com 17 diretrizes voltadas à produção sustentável de produtos cultivados, tem como objetivo direcionar o apoio de ações governamentais à atividade. Uma dessas diretrizes, por exemplo, rege o fomento à pesquisa e ao desenvolvimento de insumos agroecológicos e orgânicos, à qualidade dos produtos agro industrializados e às tecnologias e máquinas socialmente apropriadas, qualificadas como de baixo impacto ambiental.

     Em contrapartida, a recente liberação de agrotóxicos, por parte do governo federal, é contrária a essa política agrícola mais sustentável do ponto de vista ecológico. Em 2019, já foram liberados mais de 230 novos pesticidas no Brasil, 42 só na última semana. Com o controle de pragas mais efetivo devido ao uso agrotóxicos, por exemplo, a chance de perdas na safra de um alimento é menor, podendo influenciar no volume de fornecimento do produto para o mercado, mesmo que isso não garanta sua qualidade. 

    Uma alternativa para os cidadãos mais preocupados com o consumo de alimentos orgânicos é o surgimento de novas feiras voltadas a este mercado. Segundo a carta de apresentação do próprio projeto de lei, que já vigora a cinco meses, dos 86.437 estabelecimentos rurais existentes na região da Zona da Mata, 82% são de agricultura familiar, que consiste em produções de menor escala em pequenas propriedades rurais e de forma majoritariamente livre de produtos químicos nocivos.

     Em Juiz de Fora, por exemplo, acontece a feira “É Daqui”, criada pela Associação de Inclusão Alimentar e Bem-Estar da Zona da Mata Mineira (Bem-Te-Vida). A feira, que acontece desde 2017, está presente no Parque Halfeld todas as sextas-feiras, das 9 às 14 horas, e garante produtos cultivados exclusivamente a partir de agricultura familiar.

     Mesmo com o crescimento do número de agrotóxicos podendo ser uma ameaça à saúde, o cidadão da Zona da Mata tem como segurança a lei 23.207/18, trazendo à região um respaldo legislativo incisivo em relação à produção de alimentos mais saudáveis, livres de agrotóxicos e de produção sustentável tanto para o consumidor quanto para o meio ambiente. Opções existem. Cabe ao consumidor decidir as melhores para si.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Recentes

November 12, 2019

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags
Please reload

Siga no Facebook
  • Facebook CMC