A utilização da conta única para o aumento de liquidez

As medidas de combate ao novo coronavírus adotadas pelo governo são essenciais para controlar a proliferação da doença infecciosa e amenizar seus impactos na economia. Porém, elas geram uma série de desequilíbrios nas contas nacionais, seja na esfera federal, na estadual ou na municipal. Grande parte da política fiscal adotada como direcionamento neste momento de crise utiliza os valores monetários contidos na conta única do Tesouro Nacional. Observar as movimentações dessa conta nos últimos meses ajuda a entender o tamanho real de alguns choques. 

 

A disponibilidade de recursos da União junto ao Banco Central é o que forma a chamada conta única do Tesouro Nacional. O grande intuito dessa centralização de recursos é possibilitar a facilidade da gestão de liquidez no sistema financeiro. A ocorrência de um resgate de títulos por parte do Tesouro Nacional gera a contrapartida de reduções no saldo da conta única, ao passo que a emissão de títulos proporciona elevações no respectivo saldo. Dessa forma, o Banco Central ajusta a liquidez da economia vendendo ou comprando títulos no mercado secundário, com compromisso de recompra ou de revenda respectivamente. 

 

A análise da evolução do saldo da conta única é um bom indicativo da atuação do governo. Assim, é possível observar se há aumento ou diminuição da liquidez no sistema financeiro nacional a partir dos valores da conta única no decorrer do tempo. 

 

De acordo com o último dado publicado pelo Banco Central, em fevereiro, a conta única do Tesouro Nacional apresentou um saldo de R$ 1,395 trilhão (19% do PIB), o que já representava um declínio nominal de 3% em relação ao saldo verificado no final de 2019. Em março de 2020, o saldo decresceu para R$ 1,235 trilhão, configurando uma queda de 14,2% em relação ao saldo registrado no fim de 2019. Já os dados parciais de abril, considerados até o dia 17 do mês, indicam que o saldo da referida conta está no patamar de R$ 1,079 trilhão, o que indica uma diminuição nominal de 25% em relação a 2019. 

 

O Banco Central sinaliza constantemente no sentido de implementar medidas para aumentar a liquidez do sistema financeiro neste momento de profunda crise sanitária e econômica que atravessamos no país. Nesse contexto, a conta única do Tesouro Nacional é uma alternativa que vem sendo utilizada para atender aos anseios e necessidades da população. Os gastos precisam sim ser realizados num momento sem precedentes na história, mas é importante também tentar equalizar as despesas para não gerar a asfixia do sistema de contas nacionais. 


 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags
Please reload

Siga no Facebook
  • Facebook CMC